Quem sou eu?

Esta é uma bela pergunta…

Uma dentre as grandes questões que, ouso dizer, me movem pelo mundo.

Afinal, se tem algo que sei, sobre mim, é que sou um buscador. Busco viver uma vida mais artística, mais criativa e essencial. Busco mais autoconhecimento (para me equilibrar e ajudar outros a se equilibrarem). Busco novas ideias, ferramentas e histórias.

Lucas M Esher

… Histórias que inspirem novas buscas. E encontros.

Comecei estudando Publicidade e Propaganda na Escola Superior de Propaganda e Marketing (tendo me formado em 2007).

Depois de uma rápida passada por uma agência de promoção e pelo terceiro setor, me aventurei pelo mundo do empreendedorismo, trabalhando com moda, fotografia e em uma indústria de bebidas artesanais.

Foram alguns bons anos assim, até que eu percebi que precisava ir além: precisava me reinventar de novo.

Para isso, enveredei pelo mundo das artes: da literatura (um romance eterno) ao teatro (um amor arrebatador).

E, nesse caminhar, tive as mais diversas experiências, passando por áreas de estudo como: produção e projeto editorial, improviso, clown/palhaço, escrita criativa, arteterapia, filosofia, mitologia, psicologia, programação neurolinguística, comunicação não-violenta, criatividade, astrologia, tarô, kabbalah hermética, entre tantas outras (um dos meus pontos fortes, não à toa, é ser um incansável estudioso).

… E o Coaching, de onde surgiu?

Bom, esta nova trajetória nasceu da vontade de unir as mais poderosas formas de (auto)conhecimento com as quais me deparei. Ao mesmo tempo, nunca vi muito sentido em definir “fórmulas” ou trabalhar com “métodos passo a passo”. Não acredito em teorias que se dizem definitivas, que exigem seguidores obedientes. Não acredito que exista um meio único de se resolver todas as questões, de todo mundo. Valorizo demais a singularidade de cada ser vivente para pensar assim…

E o Coaching (estimulado pela vertente antroposófica, compartilhada pelo Instituto EcoSocial, onde me formei) representa essa abertura. Representa o respeito à diversidade, ao que torna cada indivíduo único e belo.

Enfim, por enquanto é isso. Certamente ainda virá muito mais pela frente.

… Contudo, isso já é outra história.