Em Busca da Vida Essencial

A Talita Lombardi​ me perguntou o seguinte: “A essência tem a ver com tudo? Vontades, sonhos, desejos? E assim construímos-iniciamos nossas buscas?”.

Como essa resposta era grande demais para um comentário, resolvi fazer um post separado. Até porque, acho que temos aí uma reflexão bem importante.

De acordo com o que eu penso, a essência tem e não tem a ver com tudo. Hã? Como assim? O que eu quis dizer com isso? Bom, deixa eu me explicar e depois você me diz se fez ou não sentido para você…

Uma das grandes questões que temos para responder, em nossas vidas, aliás, é conseguir diferenciar o que é “essencial” e o que é “egóico”.

Ou seja: precisamos entender o que é próprio do nosso eu mais verdadeiro (o essencial), do que é uma manifestação do nosso ego, da personalidade que fomos construindo para nós mesmos (e que, por ser uma construção, pode muito bem conter projeções, desejos supérfluos, que não necessariamente nos trarão a “felicidade e a saúde” que queremos).

Isso quer dizer que a “essência” é boa e o “ego” ruim? Há quem diga que sim. Para mim, não é bem assim. O ego, penso eu, tem sua função também. Ele é a “primeira casca”, pela qual filtramos essa quantidade massiva de percepções/sensações que nos chegam, lá de fora (e aqui de dentro).

O ego pode não ser completamente verdadeiro, em seus desejos; mas ele nos ajuda a seguir caminhando. Ele é como qualquer ideia, projeto, teoria etc. que criemos: apresentará falhas, embora, de todo jeito, sirva para nos ensinar várias lições e nos levar além.

… Além para…?

Para a nossa “essência”.

Para junto do nosso eu mais verdadeiro.

Para mim, por tanto, a “essência” é a nossa “camada” mais profunda. E o “ego” a nossa “camada” mais superficial. Ambos estão sempre presente, mas agindo em níveis diferentes. rose-2320230_1280

… E eu entendo que a nossa busca é por uma Vida Essencial – que começará a ser construída a partir do ego. Vamos da camada mais superficial para a mais profunda…

Por isso, lá em cima, eu respondi que “a essência tem e não tem a ver com tudo”. Ela está sempre presente e, portanto, tem a ver com tudo. Ainda assim, em boa parte dos nossos momentos (para não dizer quase todos) estamos agindo de acordo com o nosso ego, sujeitos a cometer erros, a dar algumas “cabeçadas” por aí. Eis a hora em que nossas ações podem parecer nos afastar da nossa essência. Eis a hora em que o que fazemos acaba não fazendo muito “sentido” para nós.

Estamos, então, remando na direção contrária do que nos pede a nossa essência. Estamos ouvindo os nossos “desejos” e não escutando a nossa “verdadeira vontade”.

Sim, para mim, existe uma grande diferença, também, entre desejo e vontade.

… Eu sei que costumamos usar essas palavras como sinônimos. Mas, uma vez que as palavras têm poder, gosto de diferenciá-las, facilitando a minha compreensão de mundo.

Desejo é algo relacionado ao ego. Vontade é relacionada à essência. Desejos são impulsos superficiais, que visam aumentar o prazer imediato, fugindo (ou, no mínimo, diminuindo) a dor. Desejos são uma espécie de “fast food”. O que importa é conseguir satisfazê-los e, de preferência, bem rápido.

pathway-2289978_1920A verdadeira vontade é o nosso propósito, é uma estrada que confere sentido ao que fazemos. É algo mais trabalhado. É um encadeamento de várias pequenas ações, todas alinhadas, que geram uma grande transformação. A vontade é um alimento mais “nutritivo” (em termos físicos, mentais, emocionais e espirituais). Entende a diferença?

É claro que a realização/frustração proporcionada por alguns dos nossos desejos, de certa forma, também servirá para que tenhamos mais clareza dos caminhos que nos são mais eficazes na busca pela nossa essência. Afinal, mesmo os erros são valiosos degraus para o aprendizado – e vitais para enxergarmos os acertos.

… Agora, de certa maneira, essas ações acabam “não tendo tudo a ver com a nossa essência”. Elas soam como “ilusões”, “desvios” na nossa rota, rumo a uma Vida Essencial.

Enfim, era basicamente isso o que eu tinha para dizer…

Consegui clarear, para você, a minha visão sobre esse assunto?

 

Obrigado pela ótima pergunta, Talita!

 

… E estou aqui, caso você ou mais alguém queira me presentear com tesouros como esse…

 

Até breve,

 

Lucas M Esher

Deixe uma resposta